A Fotografia de Rua

A Fotografia de Rua, Street Photography (em inglês), Fotografía Callejera (em espanhol) é o estilo da fotografia autoral, artística, que explora as ruas da cidade, a vida cotidiana, os acontecimentos comuns, buscando a beleza, o inusitado ou o chocante, dentro da rotina do dia a dia. 

 

Fotografia de Rua

 

Por Yuri Bittar, São Paulo, 2013, série Olhares Urbanos

 

O objetivo dessa prática é explorar a realidade, criando imagens belas ou interessantes a partir do que se encontra pelas ruas, geralmente situações espontâneas e imprevisíveis. Fotografar na rua é observar, conhecer a cidade, gostar das pessoas, gostar de andar... As fotos podem ser em PB (Preto e branco) ou cores. 

 

Este estilo tem determinadas regras, não impostas, mas criadas pelos praticantes ao longo do tempo. Por isso essas regras não precisam ser seguidas, mas servem como ótimas referências, pois derivam de muita experiência histórica, e se baseiam na obra dos grandes fotógrafos. 


Foto de Ricardson Williams (China)

 

Na Fotografia de Rua é importante sair para fotografar sem planos exatos, como se faria na fotografia documental. Você pode ter um projeto na cabeça, um formato de imagem, mas não se sabe o que vai encontrar na rua, e é preciso estar aberto à tudo. 

 

Grandes nomes:

Há muitos nomes nesse estilo, é difícil dizer quem são os maiores, por isso vou falar de alguns apenas, quase aleatoriamente. Henri Cartier-Bresson talvez possa ser considerado o criador do estilo, mas com certeza é o grande nome e referência.

 


Lily Sverner, belga radicada no Brasil

 

Outro nome que gosto é FAN HO, ele é o cara! Luz, foco e composição perfeitos! O fotografo FAN HO fez fotografias fantásticas das ruas de Hong Kong e é um dos fotógrafos de rua mais admirados da Ásia, capturando o espírito de Hong Kong nos anos 1950 e 60. Suas fotos combinam pessoas, e formas geométricas de forma incrível e sua percepção da luz é perfeita. Christophe Jacrot é o mestre da chuva, da neve, do “tempo ruim”, adoro suas fotos. Há muitos outros ótimos mestres nessa área, faça sua própria busca e encontre suas referências. 

 

Foto de Fan Ho (Hong Kong)

 


Christophe Jacrot

 

Onde fotografar:

Essencialmente nas ruas, e em espaços públicos que sejam de certa forma a continuação da rua, como mercados, parques, praças e prédios públicos. Procure lugares agitados e populares, quanto mais gente, mais oculto você ficará. Ruas de grande comércio popular são ideais, ruas com muitos escritórios, etc. Quanto ao horário, depende muito do seu projeto. 

Foto de Marcio Garcia (Porto Alegre)

 

Como fotografar:

Algo ideal, mas não obrigatório, é ter um projeto, ou projetos. Esse projeto não deve ser como fotos pré-determinadas, ou algo limitador, mas apenas uma chave de leitura da realidade, como uma palavra ou título, algo que te ajuda a filtrar um pouco as infinitas possibilidades de imagens que vão surgir. 

 


Foto de Hélder Paz Monteiro (Cabo Verde)

 

Dica principal: fotografe muito, vença sua timidez se for o caso, se familiarize com as ruas, com as pessoas. A experiência, de vida e de fotografia, é que faz o bom fotógrafo de rua.

 

Na Fotografia de Rua mais purista deve se seguir as regras:

  • Usar lentes fixas, preferencialmente 35mm;
  • Usar câmeras leves;
  • Fotografar apenas em espaços públicos;
  • Fotografar apenas pessoas ou algo que se refira diretamente a elas;
  • Fazer fotos apenas espontâneas, não falar com as pessoas;
  • Fazer apenas fotos em PB.

Fotografia de Rua

Foto por Yuri Bittar, metrô de São Paulo, 2014

Mas essas regras não são lei, apesar de muitos  tentarem seguí-las a risca. Outras dicas, mais gerais, são:

  • Escolha bem seu equipamento, deve ser leve, ágil, com autonomia e qualidade suficiente;
  • Ande muito, as vezes sem pensar muito por onde vai;
  • Sempre observe a luz, lembre-se que a luz é tudo na fotografia;
  • Componha o tempo todo, veja a realidade como composições;
  • Menos é mais - busque composições mais simples possíveis;
  • Interesse-se pelas pessoas;
  • Busque os “diálogos” nas ruas, quando duas “coisas” parecem se confrontar ou se combinar, ou relações entre geometrias e pessoas;
  • Mantenha respeito e ética sempre;
  • Tome os devidos cuidados com segurança e saúde (exemplo: não andar em bairros perigosos, usar protetor solar).


Foto de 
Bruno Pires (São Paulo)

 

O que fazer com as fotos: 

Não fotografamos para simplesmente guardar as fotos. Por isso a cada vez que fotografar selecione as fotos, encontre as melhores, seja rigoroso, faça coleções, rankings, pastas, enfim, encontre sua forma de organização, mas seja capaz de encontrar sempre as suas melhores fotos. Depois edite, poste, divulgue. E quando achar que tem fotos boas comece a tentar vender, publicar, quem sabe fazer um livro, exposição, etc. 

 

Foto de Fabrizio Mandolini (Itália)

 

Legalidade:

No Brasil há certa desconfiança dos fotógrafos com “câmeras profissionais”, ou seja, DSLRs, câmeras grandes. Por isso com uma câmera dessa seguranças vão te barrar. Eles não tem esse direito, de acordo com a constituição você pode exercer sua atividade artística em qualquer lugar em que possa entrar, no entanto não devemos provocar pessoas armadas e mal preparadas, por isso recomendo usar uma câmera pequena. 

 

Então enquanto trabalho artístico, o praticante da fotografia de rua  pode fotografar à vontade, sem autorização prévia de ninguém. 

 

Já quanto ao uso da foto, enquanto arte, também é livre, mas é preciso cuidado para não expor as pessoas fotografadas a constrangimento, pois nesse caso ela poderá te processar. 

 

Outros sites para consultar:

 

http://www.complex.com/style/NaN/Invalid%20date/the-50-greatest-street-photographers-right-now/

 

http://www.street-photographers.com/

 

www.fotografiaderua.com/


http://www.queimandofilme.com/tag/fotografia-de-rua/

 

Terminando sem concluir:

Na Fotografia de Rua, como na vida, nada termina realmente, e assim concluímos esse artigo, sem terminar, pois há muito mais a falar desse tema, espero que tenha despertado sua curiosidade, e agora você busque mais informações, e principalmente que você fotografe muito. 

 

Yuri Bittar, por Fabio Uehara

Sobre o autor: Yuri Bittar

Yuri Bittar é designer, fotógrafo e historiador. Atua como designer gráfico, e desenvolve cursos de fotografia, exposições e as saídas Fotocultura, além de pesquisas sobre humanização no ensino da saúde. Através da história oral, da fotografia, da literatura e outros recursos, tem buscado criar projetos mais próximos ao humano e que contribuam para a melhora da qualidade de vida.

Contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Site: http://www.yuribittar.com